Av. Tabelião Sylmar Silva, 182 - Centro - Duque de Caxias - RJ Tel.: (21) 2671-3503 - Pr. Joab Rodriguês

Igreja Cristo é Vida - Duque de Caxias - RJ

Leia Mais >>

Projetos e Leis Contra os Cristãos.

Mas olhai por vós mesmos, porque vos entregarão aos concílios e às sinagogas; e sereis açoitados, e sereis apresentados perante presidentes e reis, por amor de mim, para lhes servir de testemunho. E sereis odiados por todos por amor do meu nome; mas quem perseverar até ao fim, esse será salvo.' - Marcos 13:9 e 13


A Bíblia diz que no fim dos tempos os filhos de Deus serão perseguidos e odiados.
Veja aqui abaixo algumas leis brasileiras, que, SE APROVADAS, impedirão a nossa ação à favor do Evangelho no Brasil:

· Será proibido fazer cultos ou evangelismo na rua (Reforma Constitucional)
· Cultos somente com portas fechadas (Reforma Constitucional)
· As igrejas serão obrigadas a pagarem impostos sobre dízimos, ofertas e contribuições.
· Programas evangélicos na televisão apenas uma hora por dia.
· Pastor só poderá fazer programa de televisão, se tiver faculdade de 'jornalismo'. (Estranha, pois já foi aprovado que nem jornalistas precisam mais cursar uma faculdade.)
· Será considerado crime pregar sobre espiritismo, feitiçaria e idolatria, e também veicular mensagem no rádio, televisão, jornais e internet, sobre essas práticas contrárias a Palavra de Deus.
· Pastores que pregarem sobre dízimos e ofertas, dependendo do número de reclamações, serão presos.
· Pastores que forem presos por pregar sobre práticas condenadas pela Bíblia Sagrada (homossexualismo, idolatria e espiritismo), não terão direito a se defender por meio de ação judicial.
· Igrejas que não realizarem casamento de homem com homem e mulher com mulher, estarão fazendo 'discriminação', poderão ser multadas e os pastores processados.
· Querem que o dia do 'Orgulho Gay' seja oficializado em todas as cidades brasileiras..
. Reforma Constitucional – Mudanças no texto da Constituição que garantem a liberdade de culto. Se aprovadas, fica proibido culto fora das igrejas (evangelismo de rua), cultos religiosos só com portas fechadas.
Projeto nº 4.720/03 – Altera a legislação do 'imposto de renda' das pessoas jurídicas.
Projeto nº 3.331/04 – Altera o artigo 12 da Lei nº 9.250/95, que trata da legislação do imposto de renda das 'pessoas físicas'Se convertidos em Lei, os dois projetos obrigariam as igrejas a recolherem impostos sobre dízimos, ofertas e contribuições.
Projeto nº 299/99 – Altera o código brasileiro de telecomunicações (Lei 4.117/62). Se aprovado, reduziria programas evangélicos no rádio e televisão a apenas uma hora.
Projeto nº6.398/05 – Regulamenta a profissão de Jornalista - Contém artigos que estabelecem que só poderá fazer programas de rádio e televisão, pessoas com formação em JORNALISMO, Significa que pastores sem a formação em jornalismo não poderão fazer programas através desses meios.
Projeto nº 1.154/03 – Proíbe veiculação de programas em que o teor seja considerado preconceito religioso. Se aprovado, será considerado crime pregar sobre idolatria, feitiçaria e rituais satânicos. Será proibido que mensagens sobre essas práticas sejam veiculadas no rádio, televisão, jornais e internet. A verdade sobre esse atos contrários a Palavra de Deus, não poderá mais ser mostrada.
Projeto nº 952/03 – Estabelece que é crime atos religiosos que possam ser considerados abusivos a boa-fé das pessoas. Convertido em Lei, pelo número de reclamações, pastores serão considerados 'criminosos' por pregarem sobre dízimos e ofertas.
Projeto nº 4.270/04[/b] – Determina que comentários feitos contra ações praticadas por grupos religiosos possam ser passíveis de ação civil. Se convertido em Lei, as Igrejas Evangélicas ficariam proibidas de pregar sobre práticas condenadas pela Bíblia Sagrada, como espiritismo, feitiçaria, idolatria e outras. Se o fizerem, não terão direito a se defender por meio de ação judicial.
Projeto de nº 216/04[/b] – Torna inelegível a função religiosa com a governamental. Significa que todo pastor ou líder religioso lançado a candidaturas para qualquer cargo político, não poderá de forma alguma exercer trabalhos na igreja.
Existem outros projetos em andamento que ferem princípios bíblicos, entre eles: Casamento de homens com homens e mulheres com mulheres. Estabelecer um dia oficial do 'Orgulho Gay' em todas as cidades brasileiras, entre outros.

Divulguem isto para seus irmãos em Cristo!!! Passe para pastores das igrejas que vocês conhecem, para que todos estejam cientes, para não colocarmos ímpios no poder, e perder nosso direitos como pregadores da verdadeira Palavrade Deus!

Leia Mais >>

O Arrebatamento.

Vídeo do Youtube
video

Pr. Joab Rodriguês
video

Leia Mais >>

Por que você pode acreditar na Bíblia?

Quem escreveu a Bíblia? Como ela se compara aos outros livros "sagrados"?

O Alcorão veio de Maomé. O livro dos Mórmons veio de Joseph Smith. Mas a Bíblia é única, dentre os muitos livros sagrados do mundo. Não foi escrita por uma só pessoa. Pelo contrário, o Velho e o Novo Testamento foram escritos por 40 autores diferentes, provenientes da Ásia, África e Europa, num espaço de tempo de 1600 anos.

Os escritores da Bíblia - mesmo em um período de tempo tão longo - transmitiram todos a mesma mensagem básica: o Deus que criou os céus e a terra providenciou uma maneira para que as pessoas pudessem conhecê-lo pessoalmente.

Além da autoria singular, a Bíblia também tem o melhor histórico de profecias que mais tarde foram cumpridas detalhadamente. Por exemplo, vários profetas do Velho Testamento fizeram mais de 300 profecias específicas sobre a vinda do Messias, onde ele nasceria, onde cresceria, etc. Elas foram todas perfeitamente cumpridas por Jesus Cristo centenas de anos depois. Essas e muitas outras profecias cumpridas mostram porque os escritores podiam escrever: "Assim diz o Senhor..." - eles estavam falando por Aquele que sabe "o fim desde o começo.

A arqueologia também repetida vezes confirma nomes de pessoas, eventos históricos e detalhes geográficos, exatamente como registrado no Velho e no Novo Testamentos. Embora a arqueologia não possa provar a veracidade espiritual da Bíblia, as descobertas mostram a confiabilidade da Bíblia como um relato histórico.

Também, comparada com outros escritos antigos, a Bíblia foi extraordinariamente preservada através do tempo. Comparado com somente sete manuscritos da obra de Platão, existem mais de 5 000 manuscritos do Novo Testamento. E quando o texto de todos esses volumes são comparados uns com os outros, descobre-se que eles são 99,5% consistentes.


A Bíblia é historicamente verdadeira? Os Evangelhos estão corretos sobre Jesus?

-Como podemos saber se os Evangelhos biográficos sobre a vida de Jesus são verdadeiros? Quando os historiadores tentam determinar a confiabilidade de uma biografia, eles perguntam: "As numerosas fontes relatam os mesmos detalhes sobre esta pessoa?"

Por exemplo, imagine que você coleciona biografias do ex-presidente americano John F. Kennedy. Uma biografia diz que JFK devotou dez anos de sua vida vivendo como um pregador na África do Sul. Uma outra diz que ele freqüentemente fazia discursos em chinês mandarim. Mas, quando você pergunta para aqueles que eram próximos do ex-presidente, eles respondem enfaticamente que JFK nunca foi pregador, nunca morou na África do Sul e nunca falou Mandarim. A credibilidade dessas biografias está hoje fora de questão. Todavia, se numerosas fontes relatassem esses fatos sobre JFK, a repetição dessas informações fariam com que elas parecessem verdadeiras.

Considerando Jesus de Nazaré, encontramos múltiplas biografias relatando fatos similares sobre a sua vida? Sim. Há quatro livros do Novo Testamento (chamados evangelhos) que dão detalhes precisos sobre a vida de Jesus. Quem escreveu os evangelhos? Dois destes livros foram escritos por homens que conheciam Jesus pessoalmente e viajaram com Ele por mais de três anos. (Mateus e João), os outros dois livros foram escritos por pessoas muito próximas dos apóstolos de Jesus.

Cada um dos quatro autores registrou narrativas muito detalhadas da vida de Jesus. Como você poderia esperar de vários escritores que escrevem sobre a vida de uma pessoa real, há concordância nos fatos, mas também há singularidade e variações nas apresentações. E cada biografia é apresentada sem sensacionalismo ou floreamentos criativos, mas em um estilo jornalístico do tipo "assim é como foi". Os evangelhos dão nomes geográficos específicos e detalhes culturais que foram confirmados por historiadores e arqueólogos. As mensagens nos evangelhos também indicam autenticidade.

Assim, o conteúdo das mensagens de Jesus e suas interações com os outros são obviamente singulares e determinadas de forma precisa no tempo. Suas declarações eram diferentes do que era correntemente ensinado no Judaísmo. E seus ensinamentos omitiam tópicos que a Igreja primitiva provavelmente teria gostado que Jesus ensinasse. Isso confirma que os biógrafos foram corretos, não atribuindo a Jesus palavras a partir de uma perspectiva posterior.


História da Bíblia. Antigos historiadores também escreveram sobre Jesus?

Sim. Cornelius Tacitus (d.C. 55-120), um historiador do primeiro século de Roma, que "é considerado como um dos mais corretos historiadores do mundo antigo."2 Um trecho de Tacitus nos conta como Nero "infligiu as mais terríveis torturas a uma classe... chamada cristãos. Christus [Cristo], de onde o nome teve sua origem, sofreu penalidades extremas durante o reino de Tiberius nas mãos de um dos nossos procuradores, Pontius Pilatus..."3 (Em contraste, o Alcorão mulçumano, escrito seis séculos depois que Jesus viveu, relatou que Jesus nunca foi crucificado, apesar de isso ser um fato confirmado por inúmeros historiadores seculares.4)

Flavius Josephus, um historiador judeu (D.C 38-100), escreveu sobre Jesus em seu livro "Antiguidades Judias". Segundo Josephus, "nós aprendemos que Jesus era um homem sábio que fez feitos surpreendentes, ensinou a muitos, ganhou seguidores entre judeus e gregos, foi tido como Messias, acusado pelos líderes judeus, condenado a ser crucificado por Pilatos, e considerado ressurreto."5

Suetonius, Pliny, o Jovem, e Thallus também escreveram sobre a adoração a Cristo e a perseguição na mesma época dos relatos do Novo Testamento.

Até mesmo o Talmude judeu, novamente não uma fonte favorável sobre Jesus, confirma a maioria dos eventos de Sua vida. Do Talmude, "aprendemos que Jesus foi concebido fora do matrimônio, ajuntou discípulos, fez declarações blasfêmicas sobre si mesmo e fez milagres, mas esses milagres eram atribuídos à bruxaria e não a Deus."6

Essa informação é extraordinária, considerando-se que a maioria dos antigos historiadores tinha seu foco em líderes políticos e militares. Apesar disso, judeus, gregos e romanos da Antiguidade (que não eram ardentes seguidores de Jesus) substanciaram os maiores eventos que estão presentes nos quatro evangelhos.


Teria o Novo Testamento mudado e sido corrompido com o passar do tempo?

-Algumas pessoas têm a idéia de que o Novo Testamento foi traduzido "tantas vezes" que ficou corrompido através das etapas da tradução. Bem, se essas traduções fossem feitas a partir de outras traduções, eles teriam razão. Mas as traduções não são feitas a partir de traduções, mas do texto original em grego encontrado nos manuscritos antigos.

Sabemos que o Novo Testamento que temos hoje é verdadeiro e corresponde a sua forma original porque:
1. Temos um enorme número de cópias manuscritas -mais de 5000.
2. As palavras contidas nessas cópias estão concordando umas com as outras em 99,5% de concordância.
3. As cópias foram encontradas muito perto de sua data original de autoria -veja o link no final desta seção.

Quando se compara o texto de uma cópia do manuscrito com outra, a compatibilidade é surpreendente. Algumas vezes, a ortografia da palavra pode variar, ou palavras podem estar transpostas, mas isso tem poucas conseqüências. Quanto à ordem das palavras, Bruce M. Metzger, professor emérito no Seminário Teológico de Princeton, explica: "Faz uma enorme diferença em inglês quando você diz: 'Cachorro morde homem' ou 'Homem morde cachorro' -a ordem da seqüência é determinante em inglês. Mas em grego não. Uma palavra funciona como sujeito da frase independente do lugar onde a palavra se posiciona na seqüência."7

E as discrepâncias? As variações nos manuscritos são "tão raras" que os estudiosos Norman Geisler e William Nix concluem: "O Novo Testamento, então, não só sobreviveu em mais manuscritos do que qualquer outro livro da antiguidade, mas também sobreviveu de forma mais pura do que qualquer outro grande livro -uma forma que é 99,5 por cento pura."8

Dr. Ravi Zacharias, um estudioso visitante na Universidade de Cambridge, também comenta: "Em termos reais, o Novo Testamento é facilmente o escrito antigo melhor atestado, em termos da enorme quantidade de documentos, de espaço de tempo entre os eventos e os documentos, e da variedade de documentos disponíveis para sustentá-lo ou contradizê-lo. Não há nada nas evidências dos antigos manuscritos que comprometa tal credibilidade e integridade de texto."9

O Novo Testamento é o documento antigo mais confiável da humanidade. Sua integridade textual é mais certa do que a dos escritos de Platão ou do que a da Ilíada de Homero.


Existem contradições no Novo Testamento?

-Alguns dizem que a Bíblia descartam está cheia de contradições. Aqui está um exemplo: Pilatos colocou um sinal na cruz onde Jesus foi pendurado, acima da cabeça de Jesus. Três evangelhos registram o que estava escrito naquele sinal:
Em Mateus: "Este é Jesus, o Rei dos Judeus"
Em Marcos: "O Rei dos Judeus"
Em João: "Jesus de Nazaré, o Rei dos Judeus"

As palavras das três frases são diferentes, mas as mensagens não entram em conflito. E quais seriam as palavras exatas? Em Grego, língua em que os evangelhos foram escritos, não se usam símbolos para marcar citações, como fazemos em português. Assim, quando os autores estavam escrevendo sobre Jesus, alguns poderiam estar parafraseando ou citando de forma direta, nós não sabemos. Isso deve explicar as sutis diferenças nas passagens.

Eis um outro exemplo de aparente contradição: Jesus disse a seus discípulos: "Não julgueis para que não sejais julgados" (Mateus 7:1). Algumas declarações depois Jesus diz a eles: "Acautelai-vos dos falsos profetas que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores". Então, era para os discípulos de Jesus julgarem as pessoas ou não? E o exemplo de Jesus? Em Mateus 23:15, Ele diz: "Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Porque rodeais o mar e a terra para fazer um prosélito; e, uma vez feito, o tornais filho do inferno duas vezes mais do que vós". Isso soa um pouco como um julgamento...

Como isso tudo é conciliado? Quando você examina mais os evangelhos você acha uma mensagem consistente de que Jesus não quer que seus seguidores olhem para os outros com atitude superior, sendo crítico com os outros, acusando os outros em coisas que eles também são falhos. No entanto, Jesus também quer que eles sejam espertos e não caiam em falsos ensinamentos. Jesus, que, sendo Deus, tem o direito de julgar, acusou de forma consistente os fariseus de serem hipócritas, orgulhosos, e egoístas, ao invés de servir a Deus como deveriam fazer.

Esses casos são típicos da aparente contradição do Novo Testamento. Muitos são geralmente resolvidos pelo próprio texto ou pelo entendimento do contexto histórico da época.


A arqueologia mostra erros no Novo Testamento?

-A arqueologia não pode provar que a Bíblia é a Palavra de Deus; contudo, ela pode substanciar sua exatidão histórica.Os arqueólogos têm sistematicamente descoberto os nomes dos oficiais do governo, reis, cidades e festivais mencionados na Bíblia - algumas vezes pessoas ou lugares que os historiadores não achavam que existiam. Por exemplo, o Evangelho de João fala sobre Jesus curando um paralítico, perto do tanque de Betesda. O texto descreve inclusive os cinco pavilhões (caminhos) que levam até o tanque. Estudiosos não acreditavam que o tanque existisse mesmo, até que os arqueólogos o acharam a quarenta pés abaixo do solo, completo com os cinco pavilhões.10

A Bíblia tem uma riqueza de detalhes históricos tremenda, porém, nem tudo o que foi mencionado nela foi encontrado pela arqueologia. Contudo, nenhum achado arqueológico criou conflito com o que a Bíblia registrou.11

Em contraste, o repórter Lee Strobel comenta sobre o livro dos Mórmons: "A arqueologia, repetidamente, falhou em substanciar suas afirmações sobre os eventos que supostamente ocorreram há muito tempo nas Américas. Eu lembro ter escrito para o Instituto Smithsonian para investigar sobre a existência de qualquer evidência que confirmasse as afirmações do Mormonismo, somente para ouvir de forma inequivocada que os arqueólogos do instituto não vêem conexão direta entre a arqueologia do Novo Mundo e o objeto do livro". Arqueólogos nunca localizaram as cidades, pessoas, nomes ou lugares mencionados no Livro dos Mórmons.12

Em comparação, muitas das localidades antigas mencionadas por Lucas, no Livro de Atos, do novo Testamento, foram identificados pela arqueologia. "Ao todo, Lucas deu o nome de trinta e dois países, cinqüenta e quatro cidades e nove ilhas sem um erro".13

A arqueologia também refutou muita das teorias infundadas sobre a Bíblia. Por exemplo, ainda ensinado em algumas faculdades hoje, o Documentário de Hipóteses JEPD sugere que Moisés não poderia ter escrito o Pentateuco (os cinco primeiros livros da Bíblia), porque a escrita não existia em seus dias. Então arqueólogos descobriram o "Black Stele" uma placa de basalto preto esculpida: "tinha caracteres de escrita cuneiforme e continha detalhes da lei Hammurrabi". Era isto pós-Moisés? Não! Era pré-Moisés, e não somente isso, era também pré-Abraão (2000 AC). Precedia os escritos de Moisés por pelo menos três séculos. A 'Hipótese do Documentário' ainda é ensinada, mesmo que seu fundamento tenha sido erradicado e demonstrado ser falso.14

Um outro grande achado arqueológico confirmando um alfabeto antigo é a descoberta das Tábuas do Ebla, no norte da Síria em 1974. Essas 14 000 tábuas de argila são tidas como sendo de 2300 anos a.C., centenas de anos antes de Abraão.15 As tábuas descrevem uma cultura e um modo de viver similar ao registrado em Gênesis entre os capítulos 12 e 50.

É significante notar que a arqueologia não desarmou todas as críticas e argumentos contra a Bíblia. Contudo, olhando-se para o que foi encontrado pela arqueologia, a veracidade histórica da Bíblia está seguramente intacta. Para um maior estudo:


Quem escreveu o Novo Testamento? Por que não aceitar os evangelhos apócrifos, gnósticos ou o evangelho de Tomás?

-Existem razões sólidas para confiar na lista atual de livros do Novo Testamento. Como mencionado anteriormente, os escritores dos Evangelhos Mateus, Marcos, Lucas e João eram seguidores próximos de Jesus. Os outros autores eram considerados dignos de confiança também: Tiago e Judas (meio-irmãos de Jesus, que, inicialmente, não acreditavam nELe), Pedro (um dos 12 apóstolos), e Paulo (a quem Jesus fez apóstolo depois de sua morte e ressurreição). A igreja sabia sobre esses homens e sua ligação com Jesus. Além de tudo, o que eles escreveram era consistente com o que as pessoas tinham visto e escutado sobre Jesus, passado adiante para seus filhos.

Assim, quando outros livros foram escritos e apareceram centenas de anos mais tarde (como o Evangelho de Pedro, apesar de Pedro já ter morrido há muito tempo), não foi difícil para a igreja identificá-los como falsos, forjados.

Um outro exemplo é o evangelho de Tomás (a quem Maomé faz referência no Alcorão). O Evangelho de Tomás foi escrito por volta de 140 d.C., muito depois da morte de Tomás. Apesar de ter algumas semelhanças com o autêntico Evangelho de Mateus do Novo Testamento, também continha mensagens radicalmente diferentes. A descrição de Jesus não correspondia a nada do que a igreja primitiva sabia ser verdade sobre Ele.

Aqui está um exemplo que mostra o contraste entre os evangelhos do Novo Testamento e os evangelho de Tomás. Por todos os evangelhos do Novo Testamento, Jesus tratava as mulheres com uma dignidade não típica da cultura do Oriente Médio dos dias de Jesus . Ele ensinou às mulheres tanto quanto aos homens, falou contra as leis de divórcio injustas, era gentil com as mulheres (até mesmo com as de caráter questionável) e depois da ressurreição apareceu primeiro para as mulheres, encarregando-as de dar a mensagem de que Ele estava vivo. O respeito de Jesus pelas mulheres contrariava todas as normas culturais e era um dos assuntos que deixavam os líderes religiosos de sua época enraivecidos. Contudo, o Evangelho de Tomás contém afirmações completamente contraditórias sobre Jesus: "Deixe Maria sair da nossa presença porque as mulheres não são dignas da vida".16 E: "porque toda mulher que se fizer homem entrará no reino dos céus".17

Enquanto os livros, como o evangelho de Tomás, eram escritos e difundidos pela igreja primitiva, não era difícil para as pessoas discernir o que era forjado. Falsos escritos contradiziam os saberes ensinados por Jesus e pelo Velho Testamento e, continham, muitas vezes, erros históricos ou geográficos.18

Assim sendo, uma lista oficial de livros do Novo Testamento se tornou necessário: 1) Os Cristãos estavam sendo martirizados e os livros estavam sendo destruídos (então, qual deles proteger?); 2) na tradução dos livros para o sírio e o latim antigo, uma lista de livros que tinham autoridade foi importante; 3) falsos livros e falsos ensinamentos estavam sempre desafiando a igreja e a liderança precisava ser clara. Em 367 d.C., Athanásio formalmente listou os 27 livros do Novo Testamento (a mesma lista que nós temos hoje). Um pouco depois, Jerônimo e Agostinho circularam a mesma lista.


História do Novo Testamento. Porque levou 30 ou 40 anos para os Evangelhos do Novo Testamento serem escritos?

-A principal razão para que os relatos do Evangelho não fossem escritos imediatamente depois da morte e ressurreição de Jesus é que não havia aparente necessidade de nenhum desses escritos. Inicialmente, os evangelhos foram espalhados oralmente em Jerusalém. Não havia necessidade de compor um relato escrito da vida de Jesus, porque os habitantes da região de Jerusalém eram testemunhas de Jesus e estavam cientes de seus ensinamentos.19

Contudo, quando os evangelhos espalharam-se para além de Jerusalém, e as testemunhas oculares não estavam mais facilmente acessíveis, houve uma necessidade de se escrever relatos para educar os outros sobre a vida e o ministério de Jesus. Muitos estudiosos datam os evangelhos como tendo sido escritos de 17 a 32 anos depois da morte de Jesus.

Lucas nos dá um pouco mais de compreensão sobre isso, colocando no começo do seu Evangelho, a razão de tê-lo escrito: "Visto que muitos empreenderam uma narração coordenada dos fatos que entre nós se realizaram, conforme nos transmitiram os que desde o princípio foram deles testemunhas oculares, e ministros da palavra, igualmente a mim me pareceu bem, depois de acurada investigação de tudo desde sua origem, dar-te por escrito, excelentíssimo Teófilo, uma exposição em ordem, para que tenhas plena certeza das verdades em que foste instruído."20

João também dá algumas razões para escrever seu Evangelho: "Na verdade fez Jesus diante dos discípulos muitos outros sinais que não estão escritos neste livro. Eles, porém, foram registrados para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo tenhais vida em seu nome."21

Você já leu alguma vez algum trecho dos Evangelhos do Novo Testamento?


Faz alguma diferença se Jesus realmente fez e disse o que está nos Evangelhos?

-Sim. Para que a fé tenha realmente valor, ela deve ser baseada em fatos, na realidade. Veja o porquê. Se você estiver voando para Londres, você provavelmente terá fé de que o avião está com o tanque cheio, de que é mecanicamente confiável, de que o piloto foi treinado, de que não há terroristas a bordo... A sua fé, no entanto, não é o que vai levar você a Londres. A sua fé é útil na medida em que lhe coloca no avião. Mas o que na verdade leva você para Londres é a integridade do avião, do piloto etc... Você pode confiar na sua experiência positiva de vôos passados. Mas sua experiência positiva não seria suficiente para levar aquele avião para Londres. O que importa é o objeto da sua fé - ele é confiável?

Acreditar em Deus requer algumas razões objetivas, ou então se torna uma fé fraca, meramente esperançosa que poderia mudar tão freqüentemente quanto muda as experiências de uma pessoa. Se a vida estiver indo bem para uma pessoa na França, então ela conclui que Deus está lá e que Ele é muito bom. Mas e para a pessoa na Índia, cujo estilo de vida não é tão confortável? Deus está realmente lá? Seria Deus disponível e útil para essa pessoa? Como você sabe? Veja: fé não é a questão principal, mas o que a sustenta.

Assim, esta questão é importante: o Novo Testamento é uma apresentação de Jesus correta, confiável? Sim. Podemos confiar no Novo Testamento porque há inúmeros fatos que confirmam isso. Esse artigo tocou nos seguintes pontos: concordância histórica; concordância arqueológica; as biografias dos quatro evangelhos estão em concordância; as profecias cumpridas mostram a intervenção divina; há continuidade com os autores do Velho Testamento da Bíblia; a preservação das cópias dos documentos é impressionante; a fidelidade das traduções é muito alta e elas apresentam uma visão consistente de Deus por mais de 1600 anos. Tudo isso dá um fundamento sólido para acreditar no que lemos no Novo Testamento: que Jesus é Deus, o Filho, que veio para nos dar vida.

Por favor, mande um e-mail para nós se você tiver outras perguntas.


(1) Isaías 46:10
(2) McDowell, Josh. The New Evidence that Demands a Verdict (Thomas Nelson Publishers, 1999), p. 55. {3) Tacitus, A. 15.44.
(4) Comentários do Dr. William Lane Craig, em uma audiência de faculdade, em dezembro de 2001: "Nas páginas do historiador judeu Josephus aprendemos que Jesus foi executado pela autoridade romana sob Pôncio Pilatos por meio da crucificação. E Tacitus, o historiador romano, também nomeia Pôncio Pilatos como o responsável pela execução de Jesus através da crucificação. De acordo com Josephus e um escritor sírio, Mara Bar-Serapion, as autoridades judias participaram dos acontecimentos que ocorreram durante a execução de Jesus e justificaram isso como uma empreitada apropriada contra a heresia. Assim, em fontes extra-bíblicas, judias e romanas, temos a evidência do julgamento de Jesus, do envolvimento tanto das autoridades judias quanto das autoridades romanas, do modo de sua execução, a saber através da crucificação. E esses fatos estão fixados firmemente, como uma âncora na história. Nenhum estudioso da história, nenhum historiador nega isto. Pelo contrário, eles estão tão firmemente fixados que, na verdade, se tornaram um critério de autenticidade."
(5) Wilkins, Michael J. & Moreland, J.P. Jesus Under Fire (Zondervan Publishing House, 1995), p. 40.
(6) Ibid.
(7) Strobel, Lee. The Case for Christ (Zondervan Publishing House, 1998), p. 83.
(8) Ibid., p. 85.
(9) Zacharias, Ravi. Can Man Live Without God? (Word Publishing, 1994), p. 162.
(10) Strobel, p. 132.
(11) O renomado arqueólogo judeu, Nelson Glueck, escreveu: "Deveria estar sublinhado categoricamente que nenhuma descoberta arqueológica jamais contradisse uma referência bíblica" citado pro McDowell Josh. The New Evidence That Demands a Verdict (Thomas Nelson Publishers, 1999), p. 61.
(12) Strobel, p. 143-144.
(13) Geisler, Norman L. Baker Encyclopedia of Christian Apologetics (Grand Rapids: Baker, 1998).
(14) McDowell, Josh. Evidence That Demands a Verdict (1972), p. 19.
(15) http://english.sdaglobal.net/story/advent/secret/ebla.htm
(16) Strobel, p. 89.
(17) Ibid.
(18) Bruce, F.F. The Books and the Parchments: How We Got Our English Bible (Fleming H. Revell Co., 1950), p. 113.
(19) Veja Atos 2:22, 3:13, 4:13, 5:30, 5:42, 6:14, etc.
(20) Lucas 1:1-3
(21) João 20:30,31






Mais sobre profecias Bíblicas...

Setecentos anos antes de Jesus nascer, o livro de Isaías (encontrado no Velho Testamento) profetizou a vinda do Messias. Jesus não só cumpriu esta profecia, mas também cumpriu cerca de 300 declarações específicas sobre o Messias encontradas em todo o Velho Testamento. Abaixo está somente uma amostra do que encontramos no livro de Isaías quando comparada com o Novo Testamento...

Profecia - Velho Testamento Cumprimento - Novo Testamento
Nascido de uma virgem
Por isso o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o chamará Emanuel [Deus conosco]. (Isaías 7:14)
Foi assim o nascimento de Jesus Cristo: sua mãe Maria estava prometida em casamento a José, mas, antes que se unissem, achou-se grávida pelo Espírito Santo. Ao acordar, José fez o que o anjo do Senhor lhe tinha ordenado e recebeu Maria como sua esposa. Mas não teve relações com ela enquanto ela não deu à luz um filho. E ele lhe pôs o nome de Jesus. (Mateus 1:18,24,25)
Ministério de milagres
Então se abrirão os olhos dos cegos e se destaparão os ouvidos dos surdos. Então os coxos saltarão como o cervo, e a língua do mudo cantará de alegria. Águas irromperão no ermo e riachos no deserto. (Isaías 35:5,6)
Jesus respondeu: "Voltem e anunciem a João o que vocês estão ouvindo e vendo: os cegos vêem, os mancos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos são ressuscitados, e as boas novas são pregadas aos pobres." (Mateus 11:4,5)
Morreu pelos pecados da humanidade
"Mas ele foi transpassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniqüidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos curados. Todos nós, tal qual ovelhas, nos desviamos, cada um de nós se voltou para o seu próprio caminho; e o Senhor fez cair sobre ele a iniqüidade de todos nós." (Isaías 53:5,6)

"Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas." (João 10:11)

Jesus chamou à parte os Doze e lhes disse: "Estamos subindo para Jerusalém, e tudo o que está escrito por meio dos profetas acerca do Filho do homem se cumprirá. Ele será entregue aos gentios que zombarão dele, o insultarão, cuspirão nele, o açoitarão e o matarão. No terceiro dia ele ressuscitará." (Lucas 18:31-33)

Então Pilatos tomou a Jesus e ordenou que fosse açoitado. Os soldados teceram uma coroa de espinhos e a puseram na cabeça dele. Vestiram-no com uma capa de púrpura, e, chegando-se a ele, diziam: "Salve, rei dos judeus!" E batiam-lhe no rosto. (João 19:1-3)

Levando a sua própria cruz, ele saiu para o lugar chamado Caveira (que em aramaico é chamado Gólgota). Ali o crucificaram...(João 19:17-18)

Comentários de Jesus das profecias do Velho Testamento sobre ele mesmo:

- "Vocês estudam cuidadosamente as Escrituras, porque pensam que nelas vocês têm a vida eterna. E são as Escrituras que testemunham a meu respeito." (João 5:39)
- "Se vocês cressem em Moisés, creriam em mim, pois ele escreveu a meu respeito." (João 5:46)
- "Jesus chamou à parte os Doze e lhes disse: "Estamos subindo para Jerusalém, e tudo o que está escrito por meio dos profetas acerca do Filho do homem se cumprirá. Ele será entregue aos gentios que zombarão dele, o insultarão, cuspirão nele, o açoitarão e o matarão. No terceiro dia ele ressuscitará." (Lucas 18:31-33)

Depois que ele ressuscitou dos mortos...

- Ele lhes disse: "Como vocês custam a entender e como demoram a crer em tudo o que os profetas falaram! Não devia o Cristo sofrer estas coisas, para entrar na sua glória?" E começando por Moisés e todos os profetas, explicou-lhes o que constava a respeito dele em todas as Escrituras. (Lucas 24:25-27)
- E disse-lhes: "Foi isso que eu lhes falei enquanto ainda estava com vocês: Era necessário que se cumprisse tudo o que a meu respeito estava escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos". Então lhes abriu o entendimento, para que pudessem compreender as Escrituras. E lhes disse: "Está escrito que o Cristo haveria de sofrer e ressuscitar dos mortos no terceiro dia, e que em seu nome seria pregado o arrependimento para perdão de pecados a todas as nações, começando por Jerusalém. Vocês são testemunhas destas coisas." (Lucas 24:44-48)

(Todas as passagens das Escrituras foram tiradas da Nova versão Internacional da Bíblia)



Para uma amostra do que é apresentado em um dos evangelhos...

O Evangelhos são apresentados como algo verídico, "Assim foi".

Até mesmo os relatos sobre Jesus fazendo milagres é escrito sem sensacionalismo ou misticismo. Um exemplo típico é o registro de Lucas, capítulo 8, onde Jesus traz de volta à vida uma menina. Preste atenção nos detalhes e clareza deste relato:

Então um homem chamado Jairo, dirigente da sinagoga, veio e prostrou-se aos pés de Jesus, implorando-lhe que fosse à sua casa porque sua única filha, de cerca de doze anos, estava à morte.
Estando Jesus a caminho, a multidão o comprimia. E estava ali certa mulher que havia doze anos vinha sofrendo de uma hemorragia e gastara tudo o que tinha com os médicos;* mas ninguém pudera curá-la.
Ela chegou por trás dele, tocou a borda de seu manto, e imediatamente cessou sua hemorragia.
"Quem tocou em mim?", perguntou Jesus. Como todos negassem, Pedro disse: "Mestre, a multidão se aglomera e te comprime". Mas Jesus disse: "Alguém tocou em mim; eu sei que de mim saiu poder".
Então a mulher, vendo que não conseguiria passar despercebida, veio tremendo e prostrou-se aos seus pés. Na presença de todo o povo contou por que o tinha tocado e como fora instantaneamente curada. Então ele lhe disse: "Filha, a sua fé a curou!* Vá em paz".
Enquanto Jesus ainda estava falando, chegou alguém da casa de Jairo, o dirigente da sinagoga, e disse: "Sua filha morreu. Não incomode mais o Mestre". Ouvindo isto, Jesus disse a Jairo: "Não tenha medo; tão somente creia, e ela será curada".
Quando chegou à casa de Jairo, não deixou ninguém entrar com ele, exceto Pedro, João, Tiago e o pai e a mãe da criança. Enquanto isso, todo o povo estava se lamentando e chorando por ela. "Não chorem", disse Jesus. "Ela não está morta, mas dorme". Eles riam dele, sabendo que ela estava morta.
Mas ele a tomou pela mão e disse: "Menina, levante-se!" O espírito dela voltou, e ela se levantou imediatamente. Então Jesus lhes ordenou que lhe dessem de comer. Os pais dela ficaram maravilhados, mas ele lhes ordenou que não contassem a ninguém o que acontecera.

Assim como outros relatos de Jesus curando pessoas, este tem uma marca de autenticidade. Se fosse ficção, parte dele teria sido escrito de uma forma diferente. Por exemplo, num registro fictício não haveria uma interrupção de algo que estivesse acontecendo. Se fosse ficção, as pessoas que lamentavam não teriam rido da afirmação de Jesus; ficariam zangados talvez, ou magoada por isso, mas não ririam. E ao escrever uma ficção, teria Jesus ordenado aos pais que ficassem quietos sobre aquilo? Você esperaria que a cura fizesse um grande momento. Mas a vida real não é tão certinha. Existem interrupções. As pessoas reagem estranhamente. E Jesus tinha suas razões para não querer que os pais espalhassem isso.

O melhor teste de autenticidade dos Evangelhos é ler você mesmo. Eles devem ser lidos como um relato de eventos reais ou como ficção? Se é real, então Deus se revelou a nós. Jesus veio, ensinou, inspirou e atraiu milhões que lêem suas palavras e sobre sua vida hoje. O que Jesus afirmou nos evangelhos, muitos têm descoberto ser uma verdade confiável: "Eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente." (João 10:10)


Para uma comparação do Novo Testamento com outros textos antigos...

Veja aqui como o Novo Testamento se compara a outros escritos antigos*:

Autor Livro Data em
que foi
escrito
Copias mais
recentes
Tempo de
intervalo
Número
de
cópias
Homero Ilíada 800 A.C. c. 400 A.C. c. 400 anos. 643
Herodoto História 480-425 A.C. c. A.D. 900 c. 1,350 anos. 8
Thucydides História 460-400 A.C. c. A.D. 900 c. 1,300 anos. 8
Platão
400 A.C. c. A.D. 900 c. 1,300 anos. 7
Demóstenes
300 A.C. c. A.D. 1100 c. 1,400 anos. 200
César Guerras Gálicas 100-44 A.C. c. A.D. 900 c. 1,000 anos. 10
Tacitus Annais A.D. 100 c. A.D. 1100 c. 1,000 anos. 20
Plinius
Secundus
História
Natural
A.D. 61-113 c. A.D. 850 c. 7500 anos. 7
Novo Testamento A.D. 50-100 c. A.D.114
(porções)
c. A.D. 200
(livros)
c. A.D. 325
(completo N.T.)
c. +50 anos.

c. 100 anos.

c. 225 anos.
5366

*McDowell, Josh. Evidências que provam um veredito (Thomas Nelson Publishers, 1999), p. 55.



A lista de alguns dos maiores achados arqueológicos...

Achados Arqueológicos Importantes
Usado com permissão de http://www.defendingthefaith.com

ACHADOS ARQUEOLÓGICOS SIGNIFICÂNCIA
Tábuas de Mari Cerca de 20,00 tábuas de pedras, que datam do período de tempo de Abraão, explicam muitas das tradições patriarcais de Gênesis.
Tábuas de Ebla Cerca de 20,000 tábuas de pedra, muitas contendo leis similares ao código legal de Deuteronômio. As cinco cidades primeiramente dadas como fictícias da planície de Gênesis 14 (Sodoma, Gomorra, Admá, Zeboim e Zoar) são identificadas.
Tábuas de Nuzi Elas detalham hábitos dos séculos 14th e 15th de acordo com os registros patriarcais como concubinas gerando filhos para as esposas inférteis.
Black Stele Provaram que a escrita e as leis escritas existiam três séculos antes das leis Mosaicas.
Paredes do Templo de Karnak, Egito Expressa uma referência a Abraão no décimo século AC.

Leis de Eshnunna (ca. 1950 AC)

Código Lipit-Ishtar (ca. 1860 AC)

Leis de Hammurabi (ca. 1700 AC)

Mostram que o código de leis do Pentateuco não eram tão sofisticadas para aquele período.
Pedras Ras Shamra Oferece informações sobre poesia Hebraica.
Cartas de Lachish Descreve a invasão de Nabucodonozor a Judá e dá um entendimento do tempo de Jeremias.
Selo de Gedaliah Refere-se a Gedalias, mencionado em 2 Reis 25:22.
Cilindro de Ciro Autentica a descrição bíblica do decreto de Ciro que permitiu que os judeus reconstruíssem o templo em Jerusalém (veja 2 Crônicas 36:23; Esdras 1:2-4).
Pedras Moabitas Dá informações sobre Onri, o sexto rei de Israel.
Obelisco Negro de Shalmaneser III Ilustra como Jeú, rei de Israel, teve que se submeter ao rei Assírio.
Prisma de Taylor Contém um texto Assírio que detalha o ataque de Senaqueribe a Isreal durante o tempo de Ezequias, rei de Israel.
ACUSAÇÕES FEITAS PELOS CRÍTICOS RESPONDIDAS PELA ARQUEOLOGIA
Moisés não poderiam ter escrito o Pentateuco porque ele viveu antes da invenção da escrita. A escrita existia muitos séculos antes de Moisés.
A cidade de Ur, cidade natal de Abraão, não existiu. Ur foi descoberta. Uma das colunas tinha a inscrição "Abraão".
A cidade construída de rocha sólida chamada "Petra" não existiu. Petra foi descoberta.
A história da queda de Jericó é um mito. A cidade nunca existiu. A cidade foi encontrada e escavada. Foi descoberto que os muros caíram exatamente da maneira descrita pela narrativa bíblica.
Os "Hititas" não existiram. Centenas de referências à incrível civilização Hitita foram encontradas. Qualquer pessoa pode até ter um doutorado em estudos Hititas na Universidade de Chicago.
Belsazar não foi verdadeiramente rei da Babilônia; ele não é encontrado nos registros. Tábuas da Babilônia descrevem o reinado deste co-regente e filho de Nabonidos.

Leia Mais >>

Estamos Vivendo o Apocalipse?


Eu assisti recentemente o documentário sobre os Iluminattis e confesso que fiquei bastante preocupado com o futuro (um futuro que já que se tornou bem presente, diga-se de passagem) da humanidade, principalmente daqueles que confessam a fé cristã. A minha preocupação, contudo, não diz respeito à nossa confissão de fé em Jesus Cristo, nem tão pouco tem haver com qualquer espécie de temor por tais acontecimentos. Até porque o próprio Senhor Jesus, em Mateus 24, e alguns anos depois, o nosso irmão e Apóstolo João, ao escrever as revelações apocalípticas, em especial o capítulo 13 de seu livro, já haviam profetizado sobre tais fatos. Fatos estes que alguns incrédulos ainda teimam em dizer que não passam de fantasias, fábulas cristãs.

Pois bem, continuando meu pensamento, o que me preocupa é o fato de muitos cristãos, e faço questão de generalizar o termo, englobando, assim, todas as denominações evangélicas existentes no Brasil que pregam a Bíblia como regra de fé e conduta, ainda estão achando que as profecias bíblicas são acontecimentos futuros, para as gerações futuras. O que me leva a seguinte definição: Estes crentes só podem estar sendo vítimas do mesmo "sono espiritual" que se abateu sobre as dez virgens de Mt 25:5. É preciso que despertem urgentemente desta sonolência antes que seja tarde de mais, como aconteceu com as cinco virgens insensatas descritas na parábola mencionada por Jesus. Precisamos estar atentos para as verdades proféticas que se mostram diante de nós todos os dias através de todos os meios de comunicação, num nítido aviso divino querendo nos chamar a atenção para o repentino fim que se aproxima apressadamente.

Ei! Reflita nesta pergunta que vou lhe dirigir. É possível que a nossa geração já esteja vivendo o Apocalípse? Será que já não estamos vivendo o princípio das dores, conforme disse Jesus em Mt 24:8?

Na Igreja que eu dirijo, outro dia, falei sobre o documentário que eu assisti e fiz esta pergunta para os irmãos ali presentes, e depois de alguns segundos de reflexão alguns chegaram a conclusão de que realmente é possível que já estejamos vivendo o princípio das dores, conforme disse Jesus que viveríamos.

Um dos argumentos que usei naquela noite foi tirado do documentário, num dos trechos em que se falava do implante de chips embaixo da pele na mão direita. Exatamente como está escrito em Ap. 13:16-18. Agora, o mais interessante é que essa tecnologia, que já vinha sendo testada nos Estado Unidos, chegou ao Brasil e foi, inclusive, notícia no Programa Domingo Espetacular, da Rede Record. O sinal na mão direita, descrito no livro de Apocalípse, é na verdade um chip implantado subcultaneamente que carrega todas as informações pessoais daquela pessoa que se deixou ser chipado. Assim como aconteceu como cartão de Crédito, o chamado dinheiro de plástico, quando as pessoas não precisavam mais andar com dinheiro em cash para pagar suas contas ou comprar, assim será com o chip não mão. Ninguém, provavelmente, precisará carregar documentos, pois todas as suas informações estarão no chip, agilizando sua identificação.

Diante de tantos fatos apocalípticos, não me resta nenhuma dúvida alguma em dizer que pode ser este, sim, o tempo do fim, conforme profetizou Daniel (Dn. 12:4), e o princípio das dores, conforme profetizou o nosso Senhor Jesus Cristo. Só nos resta seguir o conselho deixado por João em Apocalípse 22:10-12: "E disse-me: Não seles as palavras da profecia deste livro: porque próximo está o tempo. Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, suje-se ainda.

Autor: Augusto Jorge


Leia Mais >>

Leia Mais >>

Projetos de Leis Contra os Cristãos

Mas olhai por vós mesmos, porque vos entregarão aos concílios e às sinagogas; e sereis açoitados, e sereis apresentados perante presidentes e reis, por amor de mim, para lhes servir de testemunho. E sereis odiados por todos por amor do meu nome; mas quem perseverar até ao fim, esse será salvo.' - Marcos 13:9 e 13


A Bíblia diz que no fim dos tempos os filhos de Deus serão perseguidos e odiados.
Veja aqui abaixo algumas leis brasileiras, que, SE APROVADAS, impedirão a nossa ação à favor do Evangelho no Brasil:

· Será proibido fazer cultos ou evangelismo na rua (Reforma Constitucional)
· Cultos somente com portas fechadas (Reforma Constitucional)
· As igrejas serão obrigadas a pagarem impostos sobre dízimos, ofertas e contribuições.
· Programas evangélicos na televisão apenas uma hora por dia.
· Pastor só poderá fazer programa de televisão, se tiver faculdade de 'jornalismo'. (Estranha, pois já foi aprovado que nem jornalistas precisam mais cursar uma faculdade.)
· Será considerado crime pregar sobre espiritismo, feitiçaria e idolatria, e também veicular mensagem no rádio, televisão, jornais e internet, sobre essas práticas contrárias a Palavra de Deus.
· Pastores que pregarem sobre dízimos e ofertas, dependendo do número de reclamações, serão presos.
· Pastores que forem presos por pregar sobre práticas condenadas pela Bíblia Sagrada (homossexualismo, idolatria e espiritismo), não terão direito a se defender por meio de ação judicial.
· Igrejas que não realizarem casamento de homem com homem e mulher com mulher, estarão fazendo 'discriminação', poderão ser multadas e os pastores processados.
· Querem que o dia do 'Orgulho Gay' seja oficializado em todas as cidades brasileiras..
. Reforma Constitucional – Mudanças no texto da Constituição que garantem a liberdade de culto. Se aprovadas, fica proibido culto fora das igrejas (evangelismo de rua), cultos religiosos só com portas fechadas.
Projeto nº 4.720/03 – Altera a legislação do 'imposto de renda' das pessoas jurídicas.
Projeto nº 3.331/04 – Altera o artigo 12 da Lei nº 9.250/95, que trata da legislação do imposto de renda das 'pessoas físicas'Se convertidos em Lei, os dois projetos obrigariam as igrejas a recolherem impostos sobre dízimos, ofertas e contribuições.
Projeto nº 299/99 – Altera o código brasileiro de telecomunicações (Lei 4.117/62). Se aprovado, reduziria programas evangélicos no rádio e televisão a apenas uma hora.
Projeto nº6.398/05 – Regulamenta a profissão de Jornalista - Contém artigos que estabelecem que só poderá fazer programas de rádio e televisão, pessoas com formação em JORNALISMO, Significa que pastores sem a formação em jornalismo não poderão fazer programas através desses meios.
Projeto nº 1.154/03 – Proíbe veiculação de programas em que o teor seja considerado preconceito religioso. Se aprovado, será considerado crime pregar sobre idolatria, feitiçaria e rituais satânicos. Será proibido que mensagens sobre essas práticas sejam veiculadas no rádio, televisão, jornais e internet. A verdade sobre esse atos contrários a Palavra de Deus, não poderá mais ser mostrada.
Projeto nº 952/03 – Estabelece que é crime atos religiosos que possam ser considerados abusivos a boa-fé das pessoas. Convertido em Lei, pelo número de reclamações, pastores serão considerados 'criminosos' por pregarem sobre dízimos e ofertas.
Projeto nº 4.270/04[/b] – Determina que comentários feitos contra ações praticadas por grupos religiosos possam ser passíveis de ação civil. Se convertido em Lei, as Igrejas Evangélicas ficariam proibidas de pregar sobre práticas condenadas pela Bíblia Sagrada, como espiritismo, feitiçaria, idolatria e outras. Se o fizerem, não terão direito a se defender por meio de ação judicial.
Projeto de nº 216/04[/b] – Torna inelegível a função religiosa com a governamental. Significa que todo pastor ou líder religioso lançado a candidaturas para qualquer cargo político, não poderá de forma alguma exercer trabalhos na igreja.
Existem outros projetos em andamento que ferem princípios bíblicos, entre eles: Casamento de homens com homens e mulheres com mulheres. Estabelecer um dia oficial do 'Orgulho Gay' em todas as cidades brasileiras, entre outros.
Divulguem isto para seus irmãos em Cristo!!! Passe para pastores das igrejas que vocês conhecem, para que todos estejam cientes, para não colocarmos ímpios no poder, e perder nosso direitos como pregadores da verdadeira Palavrade Deus!

Leia Mais >>

Propiciação e substituição











Estas duas verdades estão ligadas ao valor do sacrifício de Cristo.

Ambas são preciosíssimas e diferentes entre si.

I João 2:2 é uma declaração explícita da primeira: "Ele [Jesus Cristo] é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro".

O Senhor Jesus Cristo, mediante sua grandiosa obra de sofrimento pelos pecados, o Justo pelos injustos, vem a ser, ele mesmo, a propiciação que corresponde às reivindicações de Deus e que o satisfaz perfeitamente no tocante à questão do pecado.

Seu sacrifício é suficiente para possibilitar que Deus receba e perdoe cada pecador debaixo do céu que vá receber o Senhor Jesus. Cristo não é somente a propiciação "por nossos pecados" (os dos crentes), mas também pelos de todo o mundo. Ele morreu por causa dos pecados de toda a humanidade. A expressão "não somente pelos nossos" indica claramente que a propiciação é para os pecados dos outros também, isto é, as pessoas do mundo inteiro.

Essa mesma verdade da propiciação fica evidente em 1 Coríntios 15:1-4. O evangelho que Paulo pregava e pelo qual os coríntios foram salvos era "que Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado, e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras". Paulo lhes disse que Cristo morreu por nossos pecados"; isto foi antes deles serem salvos: na verdade este foi o meio da salvação deles. Portanto, é correto dizer ao mundo todo: "Cristo morreu pelos nossos pecados". Segunda aos Coríntios 5:15 insiste: "Ele morreu por todos", e o motivo da necessidade disso é o pecado de todos.

Por ser verdade isso, alguns acreditam que é correto supor que todos são, portanto, perdoados. Isso porque confundem a verdade da propiciação com outra verdade que lhe é paralela, a verdade da substituição.

Esta palavra não se encontra nas Escrituras, mas a verdade definida por ela sim. O fato de que "Cristo morreu por nós todos" não significa que todos estejam salvos.

Na verdade, a conclusão das Escrituras é: Se "um morreu por todos, logo todos morreram" (2Co 5:14).

Uma vez que era necessário que um morresse por todos, isso significa simplesmente que todos estavam "mortos em transgressões e pecados" diante de Deus. Isso é propiciação, não substituição.

Hebreus 9:28 afirma: "Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos". Isto agora é substituição. Ele não carregou os pecados de todos, mas "de muitos", aqueles que realmente confiaram nele como Salvador. "A todos quanto o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; a saber: os que crêem no seu nome" (João 1:12).

Dizer que Cristo carregou nossos pecados é completamente diferente de dizer que ele morreu por nossos pecados.

A primeira afirmação é verdadeira apenas para os crentes, a segunda é para todos os homens. Primeira de Pedro 2:24, escrita para crentes, nos diz: "Carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados". Quando alguém recebe o Senhor Jesus, pode ter, a partir desse momento, essa preciosa certeza, mas antes não. Os maravilhosos dizeres de Isaías 53:5-6 só se aplicam aos crentes: "Pelas suas pisaduras fomos sarados" e "O Senhor fez cair sobre ele a iniqüidade de todos nós".

Portanto, Deus foi propiciado no tocante ao mundo inteiro.

Consequentemente, a mensagem do evangelho "para todo aquele que vier" pode ser proclamada a todos, mas os seus benefícios são conhecidos apenas dos que recebem Cristo como seu Substituto.

Vejam, portanto, que essas duas verdades devem ser mantidas distintas, ainda que ambas sejam tão profundamente valorizadas por aquele que é filho de Deus.

FONTE: http://www.pilb.t5.com.br/

Leia Mais >>

Templo



Leia Mais >>

Culto Infantil

Aconteceu no Dia 03/Junho/2010 Grande Jantar Para Todas as Crianças com presença especial do SENHOR JESUS O REI DA GLÓRIA.
( aguarde que iremos divulgar o próximo!!!)




Culto Infantil


"Ensina a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele".
Provérbios 22:6

Leia Mais >>


Dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? porque vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adorá-lo. Mateus 2:2

Leia Mais >>

A simplicidade do evangelho.

A simplicidade do evangelho.

A mensagem do evangelho é simples e qualquer ser humano independentemente de seu preparo intelectual e origem, é capaz de entender; basta dar lugar ao Espírito Santo, que convence o homem "do pecado, da justiça e do juízo" (Jo 16:8). A conversão ao cristianismo não é resultado de estratégia de marketing, nem de técnicas persuasivas (I Co 2:4). Não é necessário, portanto, um "curso de lógica" para alguém ser salvo ou entender os princípios da fé cristã.

Leia Mais >>

Fotos








Leia Mais >>


Leia Mais >>


Leia Mais >>


Os ensinos bíblicos são imprescindíveis para o homem. Na Bíblia existem doutrinas (ensinos), poemas, provérbios, cânticos, histórias, revelações, profecias, comentários, narrativas e outras formas literárias, abrangendo 66 livros, que foram escritos por 40 diferentes autores, sob inspiração do Espírito Santo de Deus (livro de 2 Pedro, capítulo 1, verso 21).

Desprezar este conteúdo, é ignorar um conteúdo espiritual inestimável.

A sabedoria da Bíblia, chamada também "Palavra de Deus" é uma fonte a jorrar para a vida eterna. Nela, se encontra o Plano de Salvação para o homem, a justiça, a misericórdia, o amor, a eternidade, a santidade.

O propósito de estudar a Bíblia, de forma ordenada e contínua, é que as Sagradas Letras podem:

1) Levar-nos á fé salvadora em Cristo Jesus (João 20.21).

2) Orientar-nos sobre decisões do dia-a-dia (2 Timóteo 3.16).

3) Guardar-nos contra superstições, mentiras e enganos (Salmo 119.105).

4) Livrar-nos de cairmos em pecados, desordem emocional e cegueira espiritual (Salmo 119.11, Efésios 6.17, Apocalipse 1.3).

5) Dar-nos sabedoria e compreensão sobre fatos do passado, do presente e do futuro (Salmo 19.8, 2 Pedro 1.19, Apocalipse 1.1).

Leia Mais >>

GRUPO RESGATE



A evangelização é ordem de Cristo - Jesus fez-se carne, viveu em perfeita obediência ao Pai, cumpriu sua santa lei e satisfez sua justiça violada por nós. Morreu na cruz em nosso favor, ressuscitou dentre os mortos para a nossa justificação e consumou a obra da nossa redenção. Em seguida, comissionou seus discípulos a ir por todo o mundo, até aos confins da terra, pregando o evangelho e fazendo discípulos de todas as nações. Marcos 16:15 Mateus 28:19

E, indo, pregai dizendo: É chegado o reino dos Céus.
Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai. Mateus 10:7-8

Leia Mais >>

Pastor Presidente: Joab Rodriguês
E-mail: pastorjoabrodrigues@hotmail.com


Porque os lábios do sacerdote devem guardar o conhecimento, e da sua boca devem os homens buscar a lei porque ele é o mensageiro do SENHOR dos Exércitos.

Malaquias 2:7

Leia Mais >>

Agenda:

Terça-feira: 8:30h (manhã) e 19:30h (noite) - Culto de Oração e Interseção
Quinta-feira: 19:30h (noite) Culto da Família
Domingo: 9:00h (manhã) e 18:00h (noite) - Culto de Louvor e Adoração

Leia Mais >>

  ©Templates By Dicas Blogger Web Designer by Valdez Blog Oficial da Igreja Cristo é Vida

TOPO